BENVINDOS AO MEU BLOG

Espero que gostem do meu blog, minha intenção é expor os meus pensamentos e sentimentos a todos aqueles que
tiverem vontade de ver e compartilhar um pouquinho de mim...

Fiquem a vontade para postar qualquer comentário..é bom saber a opinião de vocês.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

SANTA

Santa Tetéia

Por fim terminei uma escultura que tinha feito um tempo atrás.
Usei os seguintes materias (todos reciclados):
Jornal, gesso, tela de arame e madeira.

“Santa é a tua presença,
Que me faz procurar a paz
Em teu peito busco querença
E que não seja tudo falaz”





BANHO


Sempre comento aqui nos meus posts que devemos fazer boas ações para sermos melhores pessoas...desta vez eu não pude fazê-lo.
Esta noite a caminho de casa, debaixo de um toró danado eu vi uma mocinha de saia debaixo de uma coberta e de guarda-chuvas, a correnteza que descia pela guia era enorme... Tive um plano e após cumpri-lo só ouvi um grande grito...
Passei com o carro bem pertinho da guia e dei um enorme banho nela....

Na próxima vez terei que fazer uma ação dupla para compensar isso.
Também não é todo o dia que temos esta oportunidade...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

COMO HABLAR

Esta canção da AMARAL é muito bonita... Espero que gostem...
Coloquei a tradução em português mas gostaria que admirassem em espanhol, a sutileza desta artista maravilhosa.


Como Falar

Se voltasse a nascer, se começasse de novo
Voltaria a te buscar te na minha nave do tempo
É o destino que nos leva e nos guia
Nos separa e nos une através da vida

Nós dissemos adeus e passaram os anos
Voltamos a ver-nos em uma noite de sábado
Outro país, outra cidade, outra vida
Mas o mesmo 'olhar felino'
Às vezes te mataria e outras te quero consumir
Olhinhos de água marinha

Como falar, se cada parte da minha mente é sua
E se não encontro a palavra exata, como falar
Como te dizer que você me ganhou pouquinho a pouco
Você que chegou por coincidência, como falar

Como um pássaro de fogo que morre em tuas mãos
Um pedaço de gelo desfeito nos lábios
A rádio segue tocando, a guerra acabou
Mas as fogueiras ainda não se apagaram

Como falar, se cada parte de minha mente é sua
E se não encontro a palavra exata, como falar
Como te dizer que você me ganhou pouquinho a pouco
Você que chegou por coincidência, como falar

Ás vezes te mataria e outras te quero consumir
Você está me tirando a vida, como falar...



quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

AMOR


Já faz muito tempo que eu queria falar sobre o amor, queria enfatizar o sentido desta palavra, aquilo que nos faz viver e sermos algo mais...

Teoricamente o amor, explicado pela “Wikipédia” diz:
A palavra amor (do latim amor) presta-se a múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, ou com algum objeto que seja capaz de receber este comportamento amoroso e enviar os estímulos sensoriais e psicológicos necessários para a sua manutenção e motivação.

Só que o amor que quero abranger hoje é no sentido da compaixão e misericórdia.

Vivemos em um mundo onde a ferocidade da vida moderna e a exigência que a sociedade ainda mais consumista coloca sobre nossos ombros fazem com que percamos o sentido moral e esqueçamos o significado do amor. Amor esse que se converteu somente em estímulos sensoriais.
O amor que me refiro é aquele incondicional, é quando você aprecia a beleza da natureza, nas flores do jardim e entende o significado da vida, na seiva da relva ao amanhecer e encontra lá o elixir da criação.
O Amor esta em todos os lados basta termos os olhos certos para ver. Estes olhos são os olhos da caridade, da compaixão e da misericórdia, cada uma destas virtudes nos proporciona um universo de sensações que nos fazem sentir de bem com a vida.

Se houvesse misericórdia não teríamos tanta violência como presenciamos no momento, com a compaixão não teríamos uma mundo em que se abandonam e maltratam animais por todos os lados, e sem caridade não podemos elevar os nossos espíritos a um nível superior.

Vamos aguçar os nossos sentimentos, estimular o amor por tudo que existe ao nosso redor, com isso verá que o mundo é um lugar realmente maravilhoso de se viver.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

APAGÃO


Que gostoso poder reviver os tempos de criança quando apagava a luz e saíamos correndo atrás de uma lata velha para fabricar uma lanterna...

Não nos preocupávamos se não iriamos poder nos conectar com os amigos atraves da internet ou se iriamos perder nosso programa favorito na televisão...
O que valia naquele momento era capturar toda aquele escuridão e fazer brilhar o nosso arredor com nossas bonitas lanterninhas....

brbrbr

VIRTUDE





Estive agora pouco em uma palestra onde o orador discutiu o tema “Virtude”.

Virtude (latim: virtus; em grego: ἀρετή) é uma qualidade moral particular. Virtude é uma disposição estável em ordem a praticar o bem; revela mais do que uma simples característica ou uma aptidão para uma determinada ação boa: trata-se de uma verdadeira inclinação.
Inclinação esta que nos faz trocar o foco das coisas do dia a dia e nos faz ver tudo com outra perspectiva.
Se nós odiamos algo ou alguém, nossa perspectiva é negativa. Talvez estejamos olhando com o foco errado. Com a virtude estaremos focando para as coisas do bem e tudo será percebido de uma forma diferente. Estaremos apreciando as coisas do bem.
Para adquirirmos as perfeições habituais e estáveis da inteligência e da vontade humana devemos conhecer as virtudes humanas:

·         * A prudência, que "dispõe a razão para discernir em todas as circunstâncias o verdadeiro bem e a escolher os justos meios para o atingir. Ela conduz a outras virtudes, indicando-lhes a regra e a medida", sendo por isso considerada a virtude-mãe humana.

·         * A justiça, que é uma constante e firme vontade de dar aos outros o que lhes é devido;

·        *  A fortaleza que assegura a firmeza nas dificuldades e a constância na procura do bem;

·        *  E a temperança que "modera a atração dos prazeres, assegura o domínio da vontade sobre os instintos e proporciona o equilíbrio no uso dos bens criados", sendo por isso descrita como sendo a prudência aplicada aos prazeres.

Para contrariar e opor-se aos Sete pecados capitais, existe também outro tipo de organização das virtudes, que é baseada nas chamadas Sete Virtudes:

Castidade, Generosidade, Temperança, Diligência, Paciência, Caridade e Humildade.

Se nós nos dedicarmos a compreender as virtudes daqueles que estão ao nosso lado ou que fazem parte, temporariamente ou não de nossas vidas, estaremos contribuindo para nossa elevação espiritual, para que o nosso corpo, nossa casa, tenha um final feliz.



FINAL FELIZ

Chega de fingir
Eu não tenho nada a esconder
Agora é pra valer, haja o que houver
Não tô nem aí
Eu não tô nem aqui pro que dizem
Eu quero é ser feliz, e viver pra ti
Pode me abraçar sem medo
Pode encostar tua mão na minha
Meu Amor,
Deixa o tempo se arrastar sem fim
Meu amor,
Não há mal nenhum gostar assim
Oh, Meu bem,
Acredite no final feliz...
Meu amor... Meu amor...



Peço a todos que façam uma oração àqueles irmãos que já não estão mais aqui conosco, irmãos distantes lá dos países árabes que, por motivo dos conflitos que tiveram a pouco tempo ainda não encontraram a luz. 

domingo, 20 de fevereiro de 2011

POSSO


Buscando coisas do passado eu encontrei um antigo poema que fiz em espanhol para a minha antiga revista “Granada-Xpress”, foi publicada na sessão “Xpressate” e se chamava “PUEDO”.
Traduzi ao português e aqui está:

POSSO

Posso estender as minhas mãos se estás perdido
e em um abraço suave te encontrar.

Posso olhar-te profundamente nos olhos, e ao ver-te triste,
penetrar mais além do que vejo.

Posso falar-te de dentro do coração
e rechear a alma com minhas palavras de ajuda.

Posso chorar as tuas tristezas e, junto às minhas, transformá-las em sorrisos,
Respeitando os silêncios.

Posso fazer menos dura a tua solidão,
compartindo mais momentos da tua vida.

Posso te querer mas posso também te rechaçar,
posso te esperar, mas posso cansar de sonhar-te.

Posso estar, ser teu amigo e compartir os momentos intermediários
da tua vida, 
Inclusive te amar.

Luis 24/10/2006

sábado, 19 de fevereiro de 2011

SAPATOS

Queria falar um pouco sobre uma das minhas paixões: Sapatos...
Para isso teria que ter muitos posts para cobrir os modelos e estilos de sapatos encontrados no mundo inteiro.
Deixo aqui uma pequena amostra do que é a historia e o mundo dos sapatos.

Alguns estudos mostram que há pinturas paleolíticas em cavernas da França e Espanha indicando a existência de calçados já em 10.000 a.C. Porém, há pesquisadores que afirmam que os sapatos foram inventados na Mesopotâmia, onde atualmente fica o Iraque, há mais de 3.200 anos. Eles eram feitos de couro macio para que os antigos pudessem atravessar trilhas montanhosas.
No Egito Antigo, entre 3.100 a.C. e 32 a.C., apenas os nobres usavam sandálias de couro. Os faraós usavam calçados deste tipo adornados com ouro.
• Os gregos, que criaram os preceitos fundamentais da civilização ocidental, mostraram vanguarda não só na filosofia, na ciência e na política, mas também na moda: estudos mostram que alguns chegaram a usar um modelo diferente em cada pé.
• Durante o Império Romano, os calçados denunciavam a classe ou grupo social do indivíduo. Os senadores utilizavam sapatos em cor marrom, em modelos que amarravam na panturrilha por quatro tiras de dois nós. Para os cônsules romanos a cor indicada era o branco. Os calçados das legiões eram as botas de cano curto. Mulheres calçavam sapatos brancos, vermelhos, verdes ou amarelos.
• Na Idade Média, a maioria dos sapatos tinha a forma das atuais sapatilhas. Eram feitas de couro. Nobres e cavaleiros usavam botas de melhor qualidade.



• O rei Eduardo (1272-1307), da Inglaterra, padronizou a numeração dos sapatos. No mesmo país, em 1642, há o registro da primeira produção "em massa" de sapatos em todo o mundo: Thomas Pendleton fez quatro mil pares de sapato e 600 pares de botas para o Exército.
• Durante a Revolução Industrial, no início no século XVIII, na Inglaterra, as máquinas passaram a produzir calçados em larga escala.
• No século XX, novos materiais, técnicas e tecidos entram na produção, que passa a ser setorizada entre design, modelagem, confecção, distribuição, entre outros setores. A necessidade dos atletas obterem um melhor desempenho em competições originou um novo segmento na indústria, voltado aos esportes, o que possibilitou a criação de tênis tecnológicos, que invadiram o vestuário de todos os grupos sociais. Além disso, a explosão da moda entre o público médio, a partir dos anos 80, também possibilitou o aumento do número de pessoas que passaram a consumir calçados de grife, tanto os mais simples quanto aqueles assinados por grandes estilistas ¿ verdadeiros artigos de luxo.

Curiosidades sobre os calçados

• No século XIV, os sapatos ingleses ficaram tão pontudos que se tornaram um perigo, fazendo o rei Eduardo III baixar um decreto limitando os bicos ao máximo de cinco centímetros de ponta. Ignorando a lei, os sapatos no país chegaram a ostentar até 50 cm de comprimento. Para andar, era preciso prendê-los à cintura com cordão de seda.




• Na França, no século XVI, os sapatos ficaram tão estreitos que para calçá-los os pés precisavam ficar mergulhos por uma hora em água gelada.







• Na China, o culto aos pés exigia o uso de sapatos de no máximo 15 cm. Para calçá-los, as mulheres tinham os pés praticamente amassados, enfaixados em um cilindro para não crescerem.







• Em Veneza, por volta de 1600, as plataformas ficaram tão altas que quem usasse precisava de criados para se movimentar.







Tipos de saltos


Sabrina
• Popularizados no início dos anos 60 nos pés de Audrey Hepburn no filme Sabrina, acabou associado a refinamento. Não deve passar dos cinco centímetros de altura, deve ser fino e ter o cabedal delicado.

• Altura perfeita para calças de todas as alturas (inclusive as curtas e shorts), vestidos, saias curtas, Chanel e midi.




Princesa
• Salto elegante e levemente mais grosso (de quatro até sete centímetros), confortável e adequado para o trabalho. 
• Veste bem com comprimento Chanel, midi e calças convencionais.









Estaca, Anabela ou plataforma baixa
• Saltos sólidos e não muito altos e que possibilitam muito conforto.
• Ideais para o trabalho, calças convencionais e vestidos ou saias mais longas.




Stiletto ou agulha
• É o mais fino e sexy de todos os saltos, pode ter alturas de até nove centímetros. É mesmo prejudicial à saúde dos pés, mas está sempre na moda.
Manolo Blahnik sketches
• Permitido para calças longas, curtas e shorts, micros e mini comprimentos e também Chanel e midi, dia e noite.
• Usado em momentos em que não se pretende permanecer muito tempo em pé.
• O estilista de calçados Manolo Blahnik é considerado o rei do salto estileto.





Salto alto grosso, Anabela ou plataforma alta
• Estes formatos de salto criam melhor equilíbrio para o corpo e podem ser usados em festas (cobertos) ou esportivos com calças e saias midi e longa.







Sensível
• O salto alto tradicional com formato robusto e altura que não ultrapassa os cinco centímetros.
• Coordena bem com calças, tailleurs e saias em comprimentos tradicionais. Ideal no trabalho e passeio, pois cansa menos.







Louis XV ou carretel
• Popularizados pelos monarcas da França, este salto não ultrapassa os quatro centímetros e a forma lembra um carretel.
• Com altos e baixos na moda, encaixa bem com sapatos estilos masculinos ou mules.
• A altura é ideal para calças, vestidos e saias longas, mini e shorts.







Surgimento dos saltos

Marilyn Monroe, conhecida por se equilibrar em saltos altíssimos, sempre declarou que as mulheres deveriam agradecer a quem inventou os saltos altos. Mas essa idolatria pelos "high heels" não nasceu nos anos 50. A procura por saltos perfeitos tem atravessado séculos.
O formato estileto ou agulha, preferido da estrela e um dos responsáveis pelo seu sucesso como símbolo sensual, é um desenho novo se lembrarmos que os mais antigos saltos, descobertos em tombas egípcias, datam de 1.000 a.C.
A associação com o sensual talvez venha do fato das cortesãs japonesas que usavam tamancos com quase trinta centímetros de altura.
Os historiadores também acreditam que as prostitutas na Roma antiga se distinguiam das outras mulheres calçando saltos altíssimos.
No teatro grego, serviam para mostrar a graduação social dos personagens. Quanto mais altos, mais importante era a figura.




Conservando os sapatos com dicas caseiras
• Sempre novos: engraxe-os regularmente. Guarde-os bem secos e entre tiras de mata-borrão, para evitar o mofo.
• Solado: aplique óleo de linhaça antes de usar seus sapatos pela primeira vez. O solado fica mais resistente.
• Botas: guarde-as com o cano cheio de jornal amassado.
• Chuva: aplique camadas de impermeabilizante sobre o couro para que a água não penetre.
• Saches: os de cânfora ajudam a conservar as cores de seus sapatos e bolsas. • Couro duro: faça uma mistura de uma colher de bicarbonato de sódio, 100 gramas de água e uma colher de sal de cozinha. Aplique no avesso para amaciar o couro.
• Lustra móvel: uma fina camada do produto deixa seus sapatos de pelica sempre novos.
• Vaselina: remove mancha de mofo do couro. Aplique e deixe de um dia para o outro.
• Gordura: ponha talco no local. No dia seguinte, escove com uma escova bem firme.
• Solado de cordas: limpe-o com terebintina.
• Casca de laranja: limpa o couro, recuperando o brilho.
• Couro colorido: limpe-o com clara de ovo batida em neve.
• Brilho: uma camada de benzina entre as engraxadas dá mais brilho no lustro.
• Sapatos e bolsas claras: passe casca de batata ou leite para retirar as manchas.
• Sapatos de tecidos: limpe-os com álcool, benzina ou querosene.

Calçados molhados
Se a chuva encharcou o seu sapato de surpresa, alguns cuidados devem ser tomados para que o investimento não vá água abaixo.
• Não tente secar no fogo, sol ou calor. Pode deformar o calçado para sempre.
• Encha de jornais amassados para absorver o excesso de umidade e impedir que se deformem, secando na sombra.
• Se o sapato ficou rígido e áspero, esfregue um pano umedecido em óleo de parafina. Se o couro ficou duro, passe uma fina camada de vaselina.
• Se ficarem manchados pela água espere que seque e esfregue vigorosamente um pano de lã. Depois aplicar graxa incolor e lustrar.
• Camurças não devem ser esfregadas enquanto molhadas. Deixe secar e só então escove ou esfregue lixa fininha.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O ATAQUE DAS UNHAS VERMELHAS


Fazendo alusão à comedia/ação de Tim Burton chamada "Mars Attack"  imagei como seria o "Ataque das Unhas Vermelhas" (AUV)... 
Seria a destruição do nosso planeta?

Já podemos ver alguns vestígios deste ataque por aqui...
Preparem suas armas... a guerra vai começar...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

SENSAÇÃO


Sabe quando der repente você tem a impressão de que o teu sangue volta a fluir com força de novo, parecendo que ele não errou de veia?
É uma sensação muito gostosa...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

CARIDADE




O que é caridade? 

"O verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entende Jesus, é benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias e perdão das ofensas."

O Amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, porque amar ao próximo é fazer-lhe todo o bem possível, que desejaríamos que nos fosse feito. Tal é o sentido das palavras de Jesus: "Amai-vos uns aos outros, como irmãos".

A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, mas abrange todas as relações com os nossos semelhantes, quer se trate de nossos inferiores, iguais ou superiores. Ela nos manda ser indulgentes porque temos necessidade de indulgência, e nos proíbe humilhar o infortúnio, ao contrário do que comumente se pratica. Se um rico nos procura, atendemo-lo com excesso de consideração e atenção, mas se é um pobre, parece que não nos devemos incomodar com ele. Quanto mais, entretanto, sua posição é lastimável, mais devemos temer aumentar-lhe a desgraça pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar o inferior aos seus próprios olhos, diminuindo a distância entre ambos. (Allan Kardec)



Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.
(Primeira Epístola de S.Paulo aos Coríntios)


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

WHAT SHALL WE DO NOW?

Shall we race rats?

Awesome animation from Pink Floyd's The Wall. Please Enjoy.
Please also feel free to browse through the lyrics, you might find somthing you didnt hear before!




HORIZONTE



Como é bom poder ver novamente o caminho com os meus próprios olhos. Depois da cegueira momentânea que consumiu boa parte do meu tempo eu posso ver o horizonte novamente.

A nebulosa da incerteza, aquela que sempre aparece nos amanheceres frios e que pouco a pouco vai se dissipando através do dia já não transpõe mais o meu caminho, caminho este feito a ferro e fogo.

Olhar para trás? Talvez.
Perdoar? Claro que sim, pois perdoando é que se consegue a leveza da alma, o equilíbrio necessário para sermos mais humanos.

As cores voltam a ter mais brilho...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

DEVOLVA-ME

Esta é a última canção romântica que eu vou postar no meu Blog.
Isso marca um novo começo.
Deixemos para trás tudo aquilo que passou, será melhor meu bem...



Devolva-Me

Composição: Renato Barros / Lilian Knapp


Rasgue as minhas cartas
E não me procure mais
Assim será melhor
Meu bem!

O retrato que eu te dei
Se ainda tens
Não sei!
Mas se tiver
Devolva-me!

Deixe-me sozinho
Porque assim
Eu viverei em paz
Quero que sejas bem feliz
Junto do seu novo rapaz...

Rasgue as minhas cartas
E não me procure mais
Assim vai ser melhor
Meu bem!

O retrato que eu te dei
Se ainda tens
Não sei!
Mas se tiver
Devolva-me!

O retrato que eu te dei
Se ainda tens
Não sei!
Mas se tiver
Devolva-me!
Devolva-me!
Devolva-me!


sábado, 12 de fevereiro de 2011

A FRASE DO DIA


Hoje conversei com o meu guia espiritual que pegou na minha mão e, surpresa com a falta de energia nela contida me disse:

"Cada um anda com os seus próprios pés, você é a unica pessoa que esta impossibilitando você mesmo de progredir...Seja mais producente, só assim você conseguirá o equilíbrio total..."


O resto no momento não é prioridade...

PERDÃO

Eu pensei que o tempo podia tudo apagar mas estive enganado.
Será que depois de ter passado  mais de 20 anos os nossos erros ou o que fizemos possam ainda machucar tanto assim?
Será que fui condenado à cadeia perpétua e não sabia?
Como dizem:
Guardar rancor é como beber veneno e esperar que o outro morra...

Devemos tentar aceitar tudo neste mundo, tudo se move de acordo com o que a gente faz e merece, assim que devemos concordar com a opinião e a vontade de cada um.

Hoje descobri que nada e ninguem é fiel aos seus princípos, só seguem às coisas que mais lhe interessam, assim que busquemos o que mais interessa e que valha a pena, amanhã pode ser que não façamos mais parte deste mundo...

O amor florece em qualquer canto, só necessita condições ideais para isto... e com isso qualquer pessoa pode amar, mesmo que for somente por um segundo...

Viva o amor...

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

SERENISSIMA


Renato Russo falava coisas muito bonitas e certeiras através das suas canções. Ele viveu intensamente o amor, passou todo o sentimento para a gente e fez com que nós entendêssemos um pouco mais a complexidade de tudo, não canso de escutar seus discos, outra e outra vez.
Por sinal me deparei com esta canção que é maravilhosa... Sutil e com um fortíssimo apelo:

Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Tudo está perdido mas existem possibilidades.
Tínhamos a idéia, mas você mudou os planos
Tínhamos um plano, você mudou de idéia
Já passou, já passou - quem sabe outro dia...


Melhor que vocês se deliciem com esta extraordinária canção.


Sereníssima

Legião Urbana

Composição: Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá


Sou um animal sentimental
Me apego facilmente ao que desperta meu desejo
Tente me obrigar a fazer o que não quero
E você vai logo ver o que acontece.
Acho que entendo o que você quis me dizer
Mas existem outras coisas.


Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Tudo está perdido mas existem possibilidades.
Tínhamos a idéia, mas você mudou os planos
Tínhamos um plano, você mudou de idéia
Já passou, já passou - quem sabe outro dia.

Antes eu sonhava, agora já não durmo
Quando foi que competimos pela primeira vez?
O que ninguém percebe é o que todo mundo sabe
Não entendo terrorismo, falávamos de amizade.

Não estou mais interessado no que sinto
Não acredito em nada além do que duvido
Você espera respostas que eu não tenho mas
Não vou brigar por causa disso
Até penso duas vezes se você quiser ficar.

Minha laranjeira verde, por que está tão prateada?
Foi da lua dessa noite, do sereno da madrugada
Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço
Enquanto o caos segue em frente
Com toda a calma do mundo.

NÃO


ESTA CANÇÃO DA SHAKIRA SE CHAMA "NO" DO DISCO "FIJACIÓN ORAL VOL.1"

Não se pode viver com tanto veneno, não se pode dedicar a alma a acumular tentativas, pesa mais a raiva que o cimento.



Não

Não, não tente se desculpar
Não volte a insistir
As desculpas já existiam antes de você

Não, não me olhe como antes
Não fale no plural
A retórica é sua arma mais letal

Vou te pedir que não volte mais
Sinto que você ainda me causa dor aqui
Por dentro

E que na sua idade já saiba bem o que é
Partir o coração de alguém assim

Não se pode viver com tanto veneno,
A esperança que me deu seu amor
Ninguém mais deu,
Te juro, não minto

Não se pode viver com tanto veneno
Não se pode dedicar a alma
A acumular intentos
Pesa mais a raiva que o cimento.

Espero que não espere que eu te espere
Depois dos meus 26
A paciência já chegou ate os pés.

E vou despetalando margaridas
E olhando sem olhar
Para ver se assim, você se irrita e se vai

Vou te pedir que não volte mais
Sinto que você ainda me causa dor aqui
Por dentro

E que na sua idade já saiba bem o que é
Partir o coração de alguém assim

Não se pode viver com tanto veneno,
A esperança que me deu seu amor
Ninguém mais deu,
Te juro, não minto

Não se pode morrer com tanto veneno
Não se pode dedicar a alma
A acumular intentos
Pesa mais a raiva que o cimento.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

MARIONETTE


Ele era um rapazinho como aquele que Gepeto construiu numa destas historias maravilhosas.
Singelo e tímido ele se meteu pelo mundo à procura de si mesmo e de aventuras. Não sabia ele que perigos iria encontrar, mas mesmo assim seguiu seu caminho. Pela estrada encontrou uma raposa que o convidou a desfrutar de um mundo melhor, longe daquele que ele tinha conhecido, mundo este de mil maravilhas, de prazeres sem fim. Não sabia ele que ficaria preso nas garras daquela raposa.
- Porque vais para a Escola se há por aí tantos lugares bem mais alegres? - perguntou a Raposa.
- Não lhe dês ouvidos! - avisou-o Nino, seu amigo. Mas ele, para quem tudo era novidade, acabou por dar ouvidos a D. Raposa e conheceu Genuíno, o dono de um teatrinho de marionetas.
- Comigo serás o artista mais famoso do mundo! - sussurrou em seu ouvido o astucioso Genuíno.
Ele foi a estrela, principalmente pelas suas asneiras, que causaram muitos risos. Os outros eram espertos, tinham prática, enquanto ele era trapalhão... Por isso triunfou!
No final do espetáculo ele quis ir embora, mas Genuíno tinha outros planos.
- Vou prender-te nesta jaula, boneco falante. Vales muito mais do que um diamante!
Passou-se o tempo e ele se tornara a sua marionete, sendo manipulado contra o seu agrado...
Por sorte seu amigo Nino correu a avisar a Fada Madrinha, que enviou uma borboleta mágica para salvar-lhe.
Quando se recompôs do susto, a borboleta perguntou-lhe aonde vivia.
- Não tenho casa. - respondeu.
A borboleta voltou a fazer-lhe a mesma pergunta, e ele a dar a mesma resposta. Mas, sempre que mentia, o nariz crescia-lhe mais um pouco, pelo que não conseguiu enganar a Borboleta Mágica.
- Não quero este nariz! - soluçou.
- Terás que te portar bem e não mentir! Voltas para casa e vais à Escola. - disse-lhe a Borboleta Mágica.
Ao regressar a casa, ele e passou a portar-se bem.
Algum tempo depois, quando ia para a Escola, voltou a encontrar a Raposa, que o desafiou para acompanhá-lo à Ilha dos Jogos.
Não resistiu e lá foi com a Raposa. Assim que entrou começaram a crescer-lhe as orelhas e a transformar-se em burro. Aflito, apareceu o seu amigo Nino, que lhe disse:
- Anda. Conheço uma porta secreta...! Não te queiras transformar em burro, não? Te levariam para um curral!
- Sim, vou contigo, meu amigo.
Ao chegarem a casa encontraram-na vazia. Souberam por uns marinheiros que seus entes queridos tinham ido ao mar num bote. Como Nino era muito esperto, ensinou-lhe  a construir uma jangada. Dois dias mais tarde, quando navegavam já longe de terra, avistaram uma baleia.
- Essa baleia vem direita a nós! Gritou Nino.
- É melhor saltarmos para a água!
 Mas não se salvaram... A baleia engoliu-os.
Entretanto, descobriram que no interior da barriga da baleia estavam seus entes queridos, que tinham naufragado durante uma tempestade.
Depois de se terem abraçado, resolveram acender uma fogueira. A baleia espirrou e os escupiu para fora.
- Perdoa-me - suplicou a todos muito arrependido.
E a partir daí mostrou-se tão dedicado e bondoso que a Fada Madrinha, no dia do seu primeiro aniversário, transformou-o num menino de carne e osso... Num menino livre de verdade.
- Agora tenho uma vida de verdade, disse ele com uma voz radiante...

NOVOS TEMPOS


Está chegando os novos tempos...Tempo de paz, de passar de página, de ser feliz...
" Pra que nossa esperança seja mais que a vingança, seja sempre o caminho que se deixa de herança..."

Que sejamos felizes em nossos novos caminhos...


Novo Tempo

Ivan Lins

Composição: Ivan Lins / Vitor Martins
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança
No novo tempo, apesar dos castigos
De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça



Adeus

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

TE AMO ou TE QUERO?


Qual o significado destas duas palavras?


Nas culturas de língua hispânica é muito comum se escutar a palavra TE QUIERO ao invés de TE AMO.


O amor é uma coisa mais forte, envolve um sentimento firme e dedicado extremamente a uma coisa ou pessoa. Ao contrário querer é uma coisa mais abrangente, pode significar que você quer alguém ou deseja esta pessoa numa forma mais passional.


Se te digo todos os dias que te amo você vai se acostumar e até se cansar dela.
Agora se querer-te todos os dias não é o suficiente, então ambas as palavras são ditas em vão.


Amo sim todos os dias,
Meu coração por isso palpita
Para que sempre tu sejas minha
Minha boca o TE QUERO incita




O que vocês acham? Te Quero ou TE Amo?





O CISNE BRANCO


Já era tarde e não havia outra alternativa do que correr. Passadas largas, tão fortes que o pulmão quase não conseguia acompanhar. O fôlego só não era perdido porque a sua determinação o fazia forte e persistente.
Também não era de se reclamar, fazia muito tempo que ele esperava por esta oportunidade e ele não iria atirá-la pela janela. Ainda bem que ele navegava a favor do vento, no calor daquele dia as pequenas janelas daquele ônibus não emanavam frescura suficiente para fazer o seu coração palpitar mais tranqüilo. Ele mesmo não sabia se as batidas do seu coração eram resultados da apreensão ou do excesso físico causado pela impaciência e o temor de chegar naquele lugar tarde demais e o seu amor já não estivesse...
Isso não era verdade, pois ela estaria lá, ele tinha certeza, ela estaria sentada apreciando os arredores com um ar feminino, dócil e singelo que ele jamais havia visto em outras faces. Sua beleza o cegava a cada momento em que se viam. Era como se parte de seu corpo rejuvenescesse de uma forma tão forte que ele poderia desafiar milhões de dragões cuspindo enormes chamas pelas narinas, ele se esquivaria das garras afiadas e ferozes e do mortal golpe de suas caldas. Para ele isso eram histórias para dormir...
Às vezes ele mesmo se encontrava rindo sozinho, lembrando daquele sorriso maravilhoso que ela lhe havia dado, e ele, furtivamente colhia esta imagem em suas recordações.
O tempo passava lentamente enquanto ele buscava na sua imagem a ênfase da sua existência, a mais pura essência, a sua presença, que era o mais importante para ele.
Seguia e seguia ininterruptamente, desviando e burlando dos obstáculos a sua frente...
Será que ela estará lá lhe esperando?  Será que algum empecilho a faça perder o caminho, desacelerar a jornada ou mesmo perder o trem da partida?
Pare ele isso já não teria mais importância, ele havia embarcado nesta viagem e não teria mais volta... Seguiria até o fim, mesmo que a obra do pior dos destinos tirasse o porquê de existir, o privasse da beleza das cores e o fizesse para toda uma vida ver o preto e branco do fracasso e da perdição.
Raios e trovões assustavam aqueles que caminhavam pelas ruas daquela cidade, indicando a profecia dos deuses, causando eminente perigo a todos aqueles que lá estavam arriscando suas vidas pelos seus destinos, isso ele não podia controlar nem tampouco contornar.
Decidiu prosseguir, a luta pelo seu ideal era o mais valioso que ele tinha aparte das roupas velhas e desbotadas, seu maior troféu era a vontade, a perseverança e a determinação de tudo aquilo conseguir.
La estava ele a caminho do seu destino, uma nova oportunidade que ele não deixaria escapar, ao menos a sua determinação não o deixaria abandonar...
Chegando lá ele encontrou o seu amor...
Aquele sorriso ainda estava lá, imenso e maravilhoso, o convidando ao prazer e fazendo com que seu coração disparasse desenfreadamente à procura da alegria escondida em todos os cantos daquela sala imensa.
Seus poros exalavam um perfume que ninguém aparte dele saberia decifrar. Era a mais pura alegria fluindo no ar. Ele estava feliz de novo, ao seu lado o mundo lá fora não existia...
Mas tudo aquilo era irreal, a angustia que ele sentia ofuscava os seus pensamentos, a necessidade de tê-la era mais forte que a pura realidade.
Ele havia se transformado em um cisne negro, escuro nos seus pensamentos e sentimentos. Tinha tudo o que ele queria a seu lado e mesmo assim havia algo de errado.
Suas paranóias vieram de novo a lhe atormentar. Ele tinha tudo o que queria ao seu lado, mas lhe faltava a certeza de que aquilo era real.
Seu mundo fictício tomava novamente conta de sua alma, já não conseguia distinguir entre o irreal e o real. Sua cabeça dava voltas e voltas, suas mãos não conseguiam encontrar o carinho, o afeto que ele tanto procurava.
Seria este o fim? O encontro poderia ser a despedida naquela estação?
Tudo o que ele queria realmente era viver este sonho, fazê-lo virar realidade, mas esta realidade poderia ter sua vida precocemente terminada, extinguida para sempre.
Seus olhos quase diziam isso, suas trocas de olhares eram como puro espinhos, afiados e com a intenção e sem perdão em machucar. Seus silêncios eram provas de que aquilo não estava bem, havia uma grande conseqüência em todo aquele tempo que ficaram separados, palavras se dispersaram com o vento...
As ilusões foram perdidas naquela troca de estação, o beijo de despedida foi fogoso, mas a chama dos dois já estava extinta. Pena, pois este ultimo beijo completou um ciclo e que antes teria crescido com proporções fenomenais.
Segue chovendo e as janelas estão todas fechadas, sufocando a sua volta pra casa com maus ares ao seu redor.
Tudo o que ele queria ser naquele momento era ser como o cisne branco, que não teve medo de acabar coma a sua existência para não sofrer de amor. Lutou e lutou, descobriu nas suas horas de delírio o quanto o amor lhe fez forte e fraco também. Enfrentou de frente os seus piores defeitos, viu a luz no final do túnel, mas até ela não conseguiu chegar.
Seguiu por muitos caminhos, enfrentou tempestades, dragões e, também na sua lucidez lutou contra tudo que fosse contrário ao seu sonho. Sonho esse de tê-la a seu lado para toda uma vida.
Ele segue o seu caminho errante, e desengonçado seguirá errando até que a eternidade tome conta dele.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

REVOLUCIÓN



Esta é a AMARAL, curtí alguns shows dela la na Espanha e confesso que sinto saudades da sua música...
Vale a pena compreender as suas letras...


Sinto que chegou nossa hora
Essa é a nossa revolução
Porque sinto que esse é o momento
De esquecer o que nos separou e pensar no que nos une...





Revolución (Tradução)

Somos demais e vocês não poderão passar
Por cima dos anos que tivemos que calar
Pelos livros proibidos e as entradas secretas
Por todos que um dia se atreveram a gritar
Que a terra era redonda e que havia algo mais
Que dragões e abismos onde acabam os mapas
Pelas noites de vazio quando você ia dormir
Esperando que a sorte voltasse a sorrir
Com os olhos abertos esperando um milagre

Sinto que chegou nossa hora
Essa é a nossa revolução

Somos demais e vocês nao poderão passar
Por cima da vida que queremos herdar
Onde não eu tenha medo de dizer o que penso
Por todas as canções que começam a nascer
Para não serem escutadas e ao final serem
Cantadas com raiva pelos que sempre se calaram
Sinto que chegou nossa hora
Essa é nossa revolução
Somos uma luz que cega
Forte, mais brilhante que o sol
(revolução, este é o dia da revolução)

Por todas as canções que começam a nascer
Para não serem escutadas e ao final serem
Cantadas com raiva pelos que sempre se calaram

Sinto que chegou nossa hora
Essa é a nossa revolução
Porque sinto que esse é o momento
De esquecer o que nos separou e pensar no que nos une
(revolução, este é o dia da revolução)
Esta é nossa revolução
[revolução]